Acusados de burlar lockdown foram humilhados nas ruas para exemplo

0
783

Autoridades policiais Jingxi, na província de Guangxi, no sul da China, realizaram a exposição pública de quatro suspeitos de burlar as regras da fronteira do país pelas ruas da cidade.

A China vem mantendo suas fronteiras praticamente fechadas ao restante do planeta desde o início da pandemia, em 2020.

O incidente aconteceu na última segunda-feira (28) e teve imagens divulgadas nas redes sociais. Os homens aparecem usando traje de proteção e máscara facial enquanto percorrem as ruas de Jingxi escoltados por policiais.

Os homens carregavam cartazes com seus nomes e fotos. Ainda segundo as imagens do vídeo, havia dezenas de pessoas assistindo à “marcha da vergonha”.

O jornal estatal Guangxi Daily afirmou que a ação disciplinar impediu crimes relacionados à fronteira e encorajou o cumprimento da prevenção e controle da pandemia.

A publicação descreveu a atual situação da Covid na área de fronteira como “severa e complexa”.

Mas o desfile também recebeu críticas, incluindo entre veículos de imprensa oficiais.

Na rede social Weibo, o Twitter chinês, a hashtag manteve-se como o assunto mais comentando ao longo do dia.

“O que é mais assustador do que desfilar na rua são os muitos comentários que apoiam essa abordagem”, escreveu um usuário da rede.

O jornal estatal Beijing News afirmou que “a medida viola gravemente o espírito do Estado de Direito e não pode acontecer novamente”.

Já o Departamento de Segurança Pública da cidade de Jingxi e o governo local defenderam a atitude, alegando que essa é uma “prática de advertência disciplinar” e que não há nada de “inadequado” nela.