Cristianismo sob ataque: Projeto de lei proíbe evangelismo em espaços públicos

0
4641

Um projeto de lei contra o “assédio religioso em ambientes públicos e privados”, que estava na ordem do dia para ser votado nesta quarta-feira (15), na Assembleia Estadual do Rio de Janeiro (Alerj), retornou à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), que irá analisar as emendas recebidas.

O PL 4257/2018, de autoria do deputado estadual Átila Nunes (MDB), proíbe o “assédio religioso” em espaços públicos e privados no Rio.

A proposta é contraria à liberdade religiosa e esconde sua verdadeira intenção, que é proibir pregações, evangelismo e convites à conversão nas ruas, praças e espaços públicos do estado.

O projeto, que foi aprovado em primeira discussão pela Alerj, em 08 de dezembro, proíbe o assédio religioso nas instituições públicas e privadas do Estado do Rio. Segundo o texto, assédio religioso são desde afirmações com o intuito de fazer graça até os insultos e agressões físicas.

O projeto prevê condenadas por intolerância religiosa, sejam servidoras ou agentes públicos.